JFF MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO                             

PPRA, PCMSO, ASO´s, PNE,  PPP, CIPA, LTCAT, PCMAT, TREIN. NR5, NR10, NR18, NR33, NR35, etc . . .                               

                             

  • instragran_edited
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • goolge +

Av. Marechal Floriano, 38 - 10ºAnd - Sala: 1004 - Centro - Rio de Janeiro - RJ  / Av. Pres. Kennedy, 735 - Loja 131 - Centro - São Gonçalo - RJ LOCAIS: CENTRO RIO - SÃO GONÇALO - BARRA DA TIJUCA - DUQUE DE CAXIAS - CAMPINHO - INTENDENTE MAGALHÃES 

21 3087-5870  / 3025-3008   / 3076-3800 / 3713-1538 / 2713-5734 / ZAP 21 9616-9585                           

 

ASOs, Exames complementares e PcD/PNE (Portadores de Necessidades Especiais)

Avaliação Clínica - ASO

ASO’s (Atestados de saúde ocupacional)

 

Tipos de ASOs :

ADMISSIONAL: Exame realizado ANTES que o funcionário assuma as suas atividades;

DEMISSIONAL: Realizado dentro dos 15dias que ANTECEDEREM o seu desligamento;

 

PERIÓDICO: Realizado em INTERVALOS MÍNIMOS DE TEMPO OU ANUAL, de acordo com a atividade do Funcionário;

 

RETORNO AO TRABALHO: Realizado no PRIMEIRO DIA DE VOLTA ao trabalho do funcionário ausente por um período igual ou superior a 30dias por motivo de doença ou acidente, de natureza ocupacional ou parto; 

 

MUDANÇA DE FUNÇÃO: Realizado quando o funcionário MUDA DE FUNÇÃO ou com ALTERAÇÃO DE RISCO, dentro da empresa;

Realizamos também Exames clinico e exames complementares na sua empresa.

Implantamos as exigências da lei: 6.514

PCMSO, PPRA, CIPA, PCMAT e PPP 

Mapa de Risco, Rota de Fuga e Sinalização

Laudo Insalubridade,  Laudo Periculosidade, Laudo Ergonômico, AET e Vistoria in loco

Palestras e Treinamentos diversos temas:

NR5, NR6, NR7, NR9, NR10, NR11, NR12, NR17, NR18, NR23, NR33, NR34, NR35 etc.   

Avaliações Ambientais:

Físicas: Calor, Ruído, Vibração e Umidade

Químicas: Poeiras, Fumos, Nevoas, Vapores Orgânicos, etc.

Biológicas: Estudo, monitoramento e analise qualitativo dos agentes biológicos.

Ergonômicas: Iluminancia e velocidade do ar.

                                                       

O objetivo desta parceria é acompanhar junto a SSSMTE e cuidar do bem estar da sua empresa e dos seus funcionários, coibindo também a atuação dos Auditores Fiscais - MTE.

Realizamos também Exames clinico e exames complementares in company.

Centro Rio, Barra, Campinho, S.Gonçalo, Caxias​
E-mail: exames@jffmedicina.com.br

Tels: 21 3025-3008  / 3713-1538 / 3087-5870

ZAP: 21 96416-9585

PEÇA UM ORÇAMENTO:

Cobrimos o custo do nosso concorrente.

Informe Nome, Telefone, Local e a quantidade de funcionários.

-> Pague e Agende online

Exames Complementares

 Exames Previstos no PCMSO e Exigidos por lei:

Para os trabalhadores expostos aos riscos descriminados nos quadros I e II da NR-7 em seus postos de trabalho, os exames médicos complementares deverão ser executados e interpretados com base nos critérios constantes dos referidos quadros e seus anexos. 
Para os trabalhadores expostos a agentes químicos não constantes nos quadros I e II, outros indicadores biológicos poderão ser monitorados, dependendo de estudo prévio dos aspectos de validade toxicológica, analítica e de interpretação desses indicadores. 
Outros exames complementares usados normalmente em patologia clínica para avaliar o funcionamento de órgãos e sistemas orgânicos podem ser realizados, à medida que se façam necessários. 

 

   Exames de imagens e outros:

  • Acuidade Visual

  • Audiometria Ocupacional / vocal e oral

  • ECG - Eletroencefalograma

  • EEG - Eletrocardiograma

  • Espirometria Ocupacional

  • Teste Romberg (Altura, Espaço confinado)

  • Avaliação Psicológica  e Psicosocial

  • Atestado Atividades físicas, natação, esporte

  • Teste Ergométrico - esteira 

  • Tipos de Raio-x:  

  • RX Torax PA e   RX Torax PA - OIT

  • RX Coluna Cervical e RX Coluna dorsal

  • RX Coluna lombo sacra, 

  • RX Ombros, Joelhos, Punhos, etc.

   Exames de laboratório:

  • Hemograma Completo c/ plaquetas

  • Tipo Sanguíneo + Fator RH

  • Glicemia de Jejum

  • EAS - Úrina

  • EPF - Parasitológico Fezes

  • PSA - Sangue e HIV

  • Toxicológico 

  • Anti HCV, Anti Hbs e Anti Hbs Ag 

  • Anti HBC IgM e Anti HBC IgG

  • Contagem de Reticulócitos

  • Ácido Hipúrico

  • Ácido Úrico

  • Ácido Metil Hipúrico

  • Ácido Trans Mucônico

  • Beta HCG

  • Gama GT, TGO e TGP

  • Triglicerídios, Uréia e VDRL 

  • Chumbo e Coprocultura

  • Creatinina e Cultura de Fezes

  • Fenol Urinário

  • HDL Colesterol e LDL Colesterol

  • Mercúrio Urinário

  • Metanol Urinário

  • Micológico de Unha

  • Parcial de Urina

  • Reticulócitos

  • Coagulograma e muitos outros...

Realizamos também Exames clinico e exames complementares in company.

Centro Rio, Barra, Campinho, S.Gonçalo, Caxias​
E-mail: exames@jffmedicina.com.br

Tels: 21 3025-3008  / 3713-1538 / 3087-5870

ZAP: 21 96416-9585

PEÇA UM ORÇAMENTO:

Cobrimos o custo do nosso concorrente.

--> Clique e responda que foi pelo site que nos achou e daremos um desconto especial.

PNE - Portador de Necessidades Especiais:

 Realizamos emissão, de acordo MTE e MPAS:

  • Laudo PNE  e o  Relatório PNE

Para que se cumpram as cotas de contratação de colaboradores com deficiência, a legislação especifica quem pode atestar e de que maneira as deficiências serão comprovadas. Compete ao Ministério do Trabalho e Emprego estabelecer a sistemática de fiscalização, a avaliação e o controle das empresas, assim como instituir os procedimentos e formulários necessários à contratação. 
 

As empresas que não cumprirem as regras de cotas para pessoas com deficiência terão de colocar a mão no bolso. Isso porque os ministérios da Previdência Social e da Fazenda estabeleceram, desde jan.2016, a Portaria Interministerial 19, que alterou os valores das multas aplicáveis em caso de descumprimento. De acordo com a nova regra o valor da multa será de R$ 1.812,87 por trabalhador que deixar de ser contratado, até o limite de R$ 181.284,63.
O laudo deverá especificar o tipo de deficiência, com o código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID), e ter autorização expressa do empregado para tornar pública a sua condição. A CID é publicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e fornece códigos relativos à classificação de doenças e de uma grande variedade de sinais, sintomas, aspectos anormais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas para ferimentos ou doenças. A cada estado de saúde é atribuída uma categoria única, à qual corresponde um código, que contém até seis caracteres. 

Laudo/Atestado Médico – Pessoas com Deficiência
• Nem todas as deficiências enquadram-se na Lei de Cotas, portanto, os laudos devem estar muito bem explicados para que não haja problemas na admissão tampouco com o Ministério Público do Trabalho e/ou Ministério do Trabalho e Emprego.
• O laudo deve ser o mais atual possível.
• O laudo precisa fornecer, além do código da CID, detalhes sobre as limitações funcionais da pessoa na prática, ou seja, a deficiência e sua sequela. Por exemplo: se consta do laudo encurtamento no membro inferior direito, é importante especificar quantos centímetros, se utiliza prótese ou órtese, muletas, cadeira de rodas, se apresenta “dificuldade para ambular”, “dificuldade para subir escadas”, “impossibilidade de ficar em pé por longos períodos”, “distúrbios da marcha”, etc.
Outros exemplos de preenchimento incompleto e como devem ser detalhados os laudos para melhor caracterização da deficiência:
Amputação do Membro Inferior Esquerdo (MIE) – não fica claro se é no dedo, perna, pé. É necessário descrever a partir de onde houve amputação e, no caso de dedos, quais foram os atingidos. Além disso, descrever a sequela ocasionada: dificuldade em subir escadas, ficar muito tempo em pé, etc.
Amputação no Membro Superior Direito (MSD) – a mesma questão: não fica claro se é apenas um dedo, a mão ou todo o braço. Especificar a altura da amputação, assim como a sequela decorrente: dificuldade para escrever, dificuldade motora, falta de força na mão, não consegue fazer o movimento de pinça ou garra, etc.
Sequela de acidente automobilístico – é necessário descrever os membros atingidos, se foi necessário colocar prótese, detalhar se ficou com dificuldade em algum movimento, por exemplo, se não consegue elevar o braço em mais de 25º.
Deficiência auditiva moderada – quando se trata de deficiência auditiva, sempre encaminhar uma audiometria atualizada. A audiometria deve apontar que a deficiência é bilateral, parcial ou total, e sempre abaixo de 41 decibéis, conforme determina a lei.
Hemiparesia, sequela de AVC – caracteriza a paralisia parcial, mas não diz em qual lado ou membro. É importante também ressaltar o nível de dificuldade motora, as limitações, etc.
Sequela de poliomielite – é necessário oferecer o maior número de detalhes – qual a sequela, membros atingidos e em qual proporção.
Fratura do fêmur – necessita informar a sequela, se possui dificuldades de locomoção, se tem limitação nos movimentos e quais são.
Malformação congênita – completar com mais informações: em qual membro, descrever a deformidade e quais as limitações ou dificuldades geradas.
Encurtamento na perna – informar em quantos centímetros, porque é necessário ser acima de 4,0 cm para enquadrar na cota. Dizer também se precisa de adaptações, se utiliza prótese ou muletas e as dificuldades decorrentes do encurtamento.

Realizamos também Exames clinico e exames complementares in company.

A SEGUIR, CONFIRA O PASSO A PASSO PARA EMISSÃO OU RENOVAÇÃO DA CARTEIRA NACIONAL DE HABILITAÇÃO (CNH) DESSAS CATEGORIAS.

1. Para renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E, o condutor deve escolher a unidade de coleta mais próxima e comparecer munido de documento original com foto para o exame toxicológico. A escolha do laboratório de coleta será feito pelo motorista.

2. Com o laudo em mãos e documentação exigida para a renovação da CNH, compareça ao Detran, Ciretran (verificar) ou Poupatempo de sua cidade.

ATENÇÃO

Caso seja reprovado no exame toxicológico, o condutor pode optar pelo rebaixamento da categoria ou cumprir o prazo de inaptidão temporária, de três meses, devendo realizar novo exame após 90 dias da coleta anterior.

O exame toxicológico é realizado com fios de cabelo/pelos para detectar drogas e seus metabólitos que foram absorvidos e permanecem fixos no cabelo/pelos por meses e até anos após o consumo.

SOBRE O EXAME TOXICOLÓGICO

A exigência do exame toxicológico para obtenção ou renovação da habilitação foi estabelecida pela lei federal 13.103/15, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), entrando em vigor em todo o país em março de 2016. O objetivo é prevenir acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras. Profissionais caminhoneiros são as maiores vítimas das estradas, principalmente pelo uso de drogas, como consequência de longas jornadas de trabalho.

Centro Rio, Barra, Campinho, S.Gonçalo, Caxias​
E-mail: exames@jffmedicina.com.br

Tels: 21 3025-3008  / 3713-1538 / 3087-5870

ZAP: 21 96416-9585

PEÇA UM ORÇAMENTO:

Cobrimos o custo do nosso concorrente.

Laudos PNE e Relatório PNE
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now